Trensurb entrega estudo de demanda do Aeromóvel Zona Sul

Home  »  Comunicação  »  Trensurb entrega estudo de demanda do Aeromóvel Zona Sul
maio 22, 2013 No Comments ›› Guilherme Darros

Na manhã desta terça-feira, 21 de maio, a Trensurb entregou oficialmente à administração municipal de Porto Alegre o estudo de demanda de passageiros de uma linha proposta da tecnologia Aeromovel na Zona Sul do município. A partir de solicitação da prefeitura da capital, o estudo foi contratado pela empresa metroviária junto à Matricial Engenharia Construtiva pelo valor de R$ 22 mil e contemplou duas possibilidades de traçado da Estação Mercado da Trensurb até o Terminal Juca Batista – pela Avenida Padre Cacique e pela Avenida Edvaldo Pereira Paiva –, com cerca de 18 quilômetros de extensão.

“Encaminho formalmente o material à EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação) para que faça um estudo dos impactos e possibilidades do projeto e, após a conclusão dessa avaliação, voltaremos a entrar em contato com a Trensurb”, afirmou o prefeito José Fortunati. A partir do estudo de demanda de passageiros entregue pela Trensurb, a EPTC terá condições de avaliar se a proposta da linha é viável para o município e qual poderá ser o papel da empresa metroviária numa eventual continuidade do projeto. “Estamos à disposição para uma parceria com o município”, afirmou o diretor-presidente da Trensurb, Humberto Kasper. Ele destaca ainda que, com o funcionamento da linha metrô-Aeroporto do Aeromovel, a empresa terá condições de contribuir com as avaliações da EPTC fornecendo dados técnicos e financeiros da operação da tecnologia.

Para o diretor de Administração e Finanças da empresa, Leonardo Hoff este é um projeto importante para toda a sociedade, pois atenderá uma número expressivo de pessoas, solucionando diversos problemas de mobilidade da capital.

Na reunião de entrega do estudo, o diretor-presidente ressaltou que, conforme estimativas, o Aeromovel é o modal “com o menor custo operacional que já existiu”, uma vez que a tecnologia diminui significativamente o peso morto em relação a outros meios de transporte, além de ser um sistema automático, que dispensa a operação manual. O superintendente de Desenvolvimento e Expansão da Trensurb, Ernani Fagundes, destacou que a tecnologia é brasileira, envolvendo uma cadeia produtiva 100% nacional.

Tagged with: , , ,

Leave a Reply